Hoje o Dia é de Festa na Faria Lima!

0
350

Receio que nessa festa, coca(ína) não irá faltar, nem tampouco restará puta pobre aos redores.

Enquanto este singelo autor vos escreve, Ibovespa apresenta alta de 2,29% com destaque para Petrobras (PETR4 +5%) e bancos em geral (Bradesco BBDC4 +4,9%).

O mercado comemora com empolgação as noticias de que o centrão teria acertado com Geraldo Alckmin para as eleições de outubro.

Quando olho para este cenário, desconfio desse movimento (do que eu não desconfio?). Comento mais abaixo. Alguém realmente achava que o centrão poderia se aproximar de Ciro? Mais ainda, imaginaram todos aqueles velhos senhores de gravata apoiando um ex-militar? Me recuso a acreditar.

Resta saber se este otimismo do mercado irá se estender para as próximas pesquisas eleitorais. O candidato do PSDB terá a seu favor toda a velha política, mercado financeiro, empreendedores em geral e o maior tempo de TV, que querendo ou não tem substancial importância na corrida.

Porque desconfio desse movimento? Pelo simples fato de que neste momento principais bolsas do mundo não compartilham da felicidade espraiada em território nacional, muito preocupados com os controversos discursos de Trump, principalmente no que diz respeito às tarifas impostas a China e suas opiniões sobre o Fed.

Para mim, esta movimentação de hoje parte principalmente dos gestores brasileiros, que estão extremamente subalocados em bolsa brasileira. O medo até semana passada poderia ser experimentado de longe. Essa movimentação por apenas uma expectativa me leva a pensar o que pode acontecer se realmente um reformista for eleito. Ou, será que a máxima do mercado de que sobe no boato e cai no fato pode implicar mais uma vez?

Me faz pensar ainda, o que pode acontecer se Alckmin não decolar nas pesquisas? Afinal, o movimento se dá por uma movimentação política, que cá entre nós, não tinha como ser diferente.

Não sabemos do futuro, muito menos do passado. O que vemos hoje no mercado é uma expectativa muito boa de que dias felizes poderão nascer nesta nação sob a responsabilidade de um reformista.